[:pb]Olá pessoal! Hoje rolou uma brincadeirinha onde eu falei das diferenças dos dois países e o que nós temos no Brasil que seria bacana ter no Estados Unidos também. Espero que gostem! Dá play:

Eaí, gostaram? Se quiserem um vídeo de hábitos americanos que deveriam ser exportados para o Brasil, me conta aqui embaixo! Preciso do seu feedback![:en]Olá pessoal! Hoje rolou uma brincadeirinha onde eu falei das diferenças dos dois países e o que nós temos no Brasil que seria bacana ter no Estados Unidos também. Espero que gostem! Dá play:

Eaí, gostaram? Se quiserem um vídeo de hábitos americanos que deveriam ser exportados para o Brasil, me conta aqui embaixo! Preciso do seu feedback![:]

11 Comentários

Você também poderá gostar de:

capapng

 

O post de hoje tá recheado de informações para você que sonha morar fora do Brasil, mais especificamente no Canadá. Convidei uma leitora do blog para contar um pouco da experiência dela e sanar a maioria das dúvidas que quase todo mundo tem, em relação ao país, moradia, custo de vida e etc.

A Tacy tem 25 anos e se mudou para Toronto há um ano, mas volta pro Brasil no próximo ano. Ela sempre sonhou em fazer intercâmbio, mas como para a maioria de nós, nunca foi uma opção viável por conta da condição financeira. Mas ela não desistiu e abraçou a oportunidade assim que ela bateu na porta: se inscreveu para uma bolsa de estudos do Ciência sem fronteira! Passou pelo processo seletivo, estudou inglês por um tempo e agora está começando o segundo período numa faculdade Canadense. Não é demais?

a4

 

Se quer ir ao Canadá saiba que o processo para retirada de visto estudante não é difícil, mas sim burocrática. Há três maneiras para dar entrada no visto, e no caso da Tacy ela resolveu fazer através de despachante.  Ela explicou que no site do consulado do Canadá no Brasil você tem acesso aos formulários que são necessários para preencher e enviar junto com os outros documentos. No caso dela, o visto era de estudante, então ela precisou preencher dois formulários, enviar documentação comprovando a bolsa de estudos, já que ela não precisaria comprovar renda, e enviar via sedex com alguns documentos para o VAC de Brasília (há em SP e RJ também!) para que eles providenciassem o visto dela. Tudo isso, claro, vai dinheiro. Depois que o processo é aberto, eles conferem as informações  e te enviam um outro documento com uma numeração para que você faça alguns exames, e aí sim, será decidido se seu visto é liberado ou não. Os exames não podem ser feitos com qualquer médico, apenas os cadastrados. Vale lembrar que esse processo é para o visto de estudante, e pode ser que para o visto de turista seja bem mais simples. 1a

Como qualquer pessoa que mora fora do Brasil, a Tacy diz que sente muita saudade da comida, (principalmente frutos do mar, família e amigos. Além disso, ela que é baiana, morre de saudade do banho de mar no Porto de Salvador e, claro, do acarajé. Mesmo com tanta saudade de casa, ela só tem elogios para o Canadá. Toronto, por exemplo, é considerada uma das cidades mais tolerantes do mundo, seja para gay, para negro ou para mulher, e por isso ela gosta tanto do lugar. A segurança é um dos fatores que dá mais vontade de continuar lá, sem mencionar a educação e saúde pública! Por outro lado, a comida não é nem de longe como a do nosso país, os canandenses não costumam almoçar, apenas comer um lanche e pronto e também há o inverno super rigoroso, que pra quem não gosta de frio, é bem ruim.

3

2

5

Se a sua intenção é ir ao Canadá, já se decidiu entre o verão e o inverno? A Tacy contou um pouquinho sobre esses dois períodos extremamente diferentes e deu algumas dicas de turismo.

VERÃO: “o verão é maravilhoso, a cidade fica colorida e alegre. Acontece muitos festivais nesses período. Eu indicaria o festival Grego que acontece anualmente ou o CNE (Canadian National Exhibition). Se a sua opção for aproveitar a praia de água doce eu indicaria Woodbine Beach e Sugar Beach. Outras opções são: Scarborough Bluffs, um lugar lindo da região de “grande Toronto”, o CN Tower, uma torre famosa que tem uma vista paronâmica da cidade, o Harbourfront Centre, uma região à beira do lago ou conhecer Toronto Island. Chinatown é um bom lugar para comprar lembrancinhas, mas na Dundas Square, que é uma espécie de Times Square de Ny, há várias lojas para fazer comprinhas. Os parques High Park e T0ronto Botanical também são lugares lindos!”

INVERNO: “No inverno a água do lago congela e o Harbourfront vira uma pista de patinação no gelo muito boa, super indico! Da pra patinar também na praça da prefeitura (City Hall) e aprecisar a beleza da arquitetura ao redor. É muito bom aproveitar as paisagens com a neve e tirar fotos fazendo boneco, anjinho ou uma guerra de neve hahahaha. Outra coisa legal para fazer no inverno é ir até a estação de ski ou snowboard. Há várias próximo a Toronto e a mais famosa delas é a Blue Mountain. Como qualquer cidade grande também há museus, galerias de arte, aquário e zoológico.”

6

7

SALÁRIO NO CANADÁ: “Se não me engano não existe um salário mínimo, mas sim um valor mínimo por hora e isso varia de província para província. Toronto faz parte da província de Ontário e a hora custa $10.25, mas dificilmente um trabalhador vai receber isso. Uma faxineira por exemplo, recebe 13 dólares por hora, por exemplo. “

CUSTO DE VIDA: “Contabilizando casa, água, luz, comida, celular e transporte fica na faixa de $2.500,00 dólares. Claro que não é um valor exato, isso é bem relativo. Além do mais, esse custo é calculado para quem precisa pagar aluguel, mas se você vier para cá como estudante ou aluguar um homestay (casa de família) esse custo cai muito.”

QUANTO LEVAR NUMA VIAGEM DE 2 SEMANAS: “Depende muito do lugar que a pessoa vai ficar: hotel, hostel ou pagar um quarto em alguma casa. Eu acredito que $2.000,00  seja suficiente para suprir esses gastos e ainda os passeios. Sobre as compras, depende também da quantidade e das lojas/marcas, mas com $1000,00 dólares já é possível repaginar o guarda roupa e comprar bastante coisa.

8

final

“Eu escolhi o Canadá porque meu coração sempre bateu diferente quando eu pensava nesse país. Sempre lí em revistas e vi em reportagens que a educação e a saúde daqui eram consideradas a melhor do mundo, porque muitas descobertas científicas saíram daqui do Canadá, e, por último mas não menos importante, porque a minha mãe e minha irmã são tão apaixonadas por esse país quanto eu.”

Para acompanhar um pouco mais da Tacy, é só seguir nas redes sociais: facebook e instagram.

Eaí, pessoal, gostaram do post de hoje? Canadá estava (ou entrou agora) na sua lista de países para visitar um dia? Você já foi ao Canadá? Tem alguma dúvida sobre o país ou sugestão de um outro lugar para o próximo post? Me conta nos comentários, vou adorar saber a sua opinião. Toronto acabou de entrar na minha listinha de viagens! E a sua?  (piscada)

48 Comentários

Você também poderá gostar de:

Diariamente eu recebo perguntas sobre o meu visto e sobre indicações de qual a maneira mais fácil e barata para se morar no Estados Unidos. Não existe maneira fácil, tudo requer esforço, e querendo ou não, você sempre será um imigrante. Houve um tempo que eu pensei em ser au pair, mas acabei não fechando contrato. Por isso, o meu visto é turista, e como vocês estão cansados de saber, ele acaba em agosto. De uns tempos pra cá, com o aumento das perguntas sobre morar fora, eu venho indicando bastante essa opção, porém, nem todo mundo sabe como ela realmente funciona, e os que conhecem um pouco, nunca ouviram relatos sobre a vida de uma Au pair. E no post de hoje vamos falar exatamente sobre isso: como funciona e como é na prática.

O programa Au Pair é basicamente um intercâmbio (geralmente de um ano, porém pode ser estendido) que permite que você more na casa de uma família nativa. Com isso você vai poder acompanhar os costumes, a cultura, estudar a língua do país e trabalhar. Em troca da sua hospedagem e da sua alimentação durante a sua estadia, você precisa cuidar das crianças da família. As idades e as atividades são diferentes de uma pra outra. Você pode cuidar de cinco crianças de uma mesma família, como também pode cuidar de apenas um bebê. Tudo depende da família que você fechar contrato. O preço desse tipo de intercâmbio é variado, mas a média é de 3 a 4 mil reais em gastos com visto, passaporte, seguro, agência e etc. Para participar do programa, é necessário caber em alguns requisitos, como idade, carteira de motorista, experiência com crianças e etc. No geral o intercâmbio é o mesmo, e para saber mais, aconselho que procure uma agência para conversar.

Como eu nunca participei desse tipo de intercâmbio, resolvi convidar a Larissa Freitas para uma entrevista aqui no blog e contar pra gente como é a vida dela aqui nos Estados Unidos.

1

2

Por que decidiu ser au pair? Você cuida de quantas crianças e quais idades?

Eu decidi ser AuPair pois sempre tive o sonho de morar fora do Brasil, e esse é um dos intercâmbios mais baratos de se fazer. Como também sempre gostei de criança, juntei o útil ao agradável e vim. Eu cuido de um bebê, Patrick. Ele tem 7 meses. 

Por quanto tempo é o seu intercâmbio? Pretende ser au pair outra vez?

Meu intercâmbio é de 2 anos. Pensando hoje eu não seria AuPair novamente pois após esses 2 anos, quero começar a me dedicar na minha carreira.

 Qual é a melhor parte de ser au pair? E a pior parte?

A melhor parte de ser AuPair, pra mim, é ter que trabalhar olhando pra carinha mais fofa do mundo! Hahaha Não ter que aturar gente mal humorada, pois meu bebê está sempre sorrindo pra mim.
Fora que eu estou em um outro país, vivendo uma experiência incrível, aprendendo outra língua e viajando muito! Isso ninguém tira de mim. A parte ruim é a saudade da família no Brasil. Mas eu estou conseguindo lidar muito bem com isso, nunca foi um grande problema.

Você tem liberdade na casa da família, ou eles pegam no seu pé em alguma coisa?

Tenho total liberdade pra fazer o que eu quiser, mas claro, tenho bom senso!

A sua host family permite que você dê bronca ou imponha limites nas crianças enquanto estiver sozinha com elas?

Como cuido de um bebê, ainda não cheguei na fase de ter que impor limites. Mas meus hosts são pessoas que estão sempre dispostas a conversar, e sempre que eu proponho algo novo para fazer com o Patrick, eles aprovam. Acredito que quando ele ficar mais velho eu vou ter essa liberdade pra dar bronca sim.

Qual é a sua rotina e horários? A sua host family te pede para fazer hora extra? 

Eu trabalho de segunda a sexta das 8:30 as 5:30 e todos os meus dias são praticamente iguais! Meu bebê dorme bastante ainda, então ele tira umas 3 sonecas por dia de mais ou menos 1h30min cada uma e quando ele tá acordado, brincamos, saio pra passear com ele na rua e agora comecei a dar comida.  É bem tranquilo. Sim, já tive que fazer hora extra e todas foram pagas baseado no salário de uma babá aqui de San Francisco. Quanto as regras do programa, meus hosts seguem direitinho, e todas as vezes que eu tive que trabalhar a mais, eles pagaram sem eu ter que falar nada.

Já teve algum problema com a família? E se você não se adaptasse, dá pra trocar?

Graças a Deus nunca tive nenhum problema com a minha família, eles são incríveis e tudo que precisamos falar, conversamos numa boa! Se eu não me adaptasse eu conseguiria trocar de família. Mas eu teria 2 semanas pra achar uma nova família, se não achasse, voltaria pro Brasil. E pode troca de família 3 vezes só.

Teve algum medo ou já pensou em desistir?

Tive medo o começo, pois o Patrick era bem difícil de lidar. Acho que ele estranhou a minha presença nos primeiros dias, era muito complicado de colocar ele pra dormir e ele chorava sempre, o que é normal, pois ele só estava acostumado a ficar com os pais. Mas mesmo nesses dias em que ele ainda não estava acostumado comigo eu nunca pensei em desistir. Estava realizando um sonho e não iria desistir tão fácil!

6

Agora que você já tem um pouco mais de experiência, tem alguma dica que considere importantíssimo pra quem tá chegando agora?

Acho que a principal dica é: nunca se esqueça de que eles não sao sua família! Sempre coloque na cabeça de que eles são seus chefes. Se eles fazem coisas além disso, agradeça, mas não espere isso sempre deles. Se não você pode se decepcionar quando eles não fizerem algo que você espera que eles façam. Outra dica é, faça amigos pois eles serão sua família aqui nos EUA! Viaje muito, saia bastante de final de semana, conheça lugares e pessoas novas e seja turistona mesmo! E por fim, tenha paciência!

3

4

5

7

Por motivos óbvios, a família não aceita divulgação de fotos dos mesmo, mas com a entrevista já deu pra ter uma ideia de como funciona, né? Para acompanhar mais, visite o blog da Lari clicando aqui.

Eai, gostaram de conhecer um pouco mais da Lari? Tem alguma dúvida referente ao programa de intercâmbio dela? Se vocês gostarem, posso trazer entrevistas com outras au pairs aqui para o blog. Me contem nos comentários: já conheciam esse programa? Consegui te ajudar? Ficou interessada? Vamos compartilhar o assunto, e se alguém decidir ser Au Pair em Ny trate de me mandar um email avisando!

Para conferir de perto um intercâmbio na Nova Zelândia clique aqui.

E para saber quais destinos eu ainda vou visitar, clique aqui . Me conte o seu também!

36 Comentários

Você também poderá gostar de: