Diariamente eu recebo perguntas sobre o meu visto e sobre indicações de qual a maneira mais fácil e barata para se morar no Estados Unidos. Não existe maneira fácil, tudo requer esforço, e querendo ou não, você sempre será um imigrante. Houve um tempo que eu pensei em ser au pair, mas acabei não fechando contrato. Por isso, o meu visto é turista, e como vocês estão cansados de saber, ele acaba em agosto. De uns tempos pra cá, com o aumento das perguntas sobre morar fora, eu venho indicando bastante essa opção, porém, nem todo mundo sabe como ela realmente funciona, e os que conhecem um pouco, nunca ouviram relatos sobre a vida de uma Au pair. E no post de hoje vamos falar exatamente sobre isso: como funciona e como é na prática.

O programa Au Pair é basicamente um intercâmbio (geralmente de um ano, porém pode ser estendido) que permite que você more na casa de uma família nativa. Com isso você vai poder acompanhar os costumes, a cultura, estudar a língua do país e trabalhar. Em troca da sua hospedagem e da sua alimentação durante a sua estadia, você precisa cuidar das crianças da família. As idades e as atividades são diferentes de uma pra outra. Você pode cuidar de cinco crianças de uma mesma família, como também pode cuidar de apenas um bebê. Tudo depende da família que você fechar contrato. O preço desse tipo de intercâmbio é variado, mas a média é de 3 a 4 mil reais em gastos com visto, passaporte, seguro, agência e etc. Para participar do programa, é necessário caber em alguns requisitos, como idade, carteira de motorista, experiência com crianças e etc. No geral o intercâmbio é o mesmo, e para saber mais, aconselho que procure uma agência para conversar.

Como eu nunca participei desse tipo de intercâmbio, resolvi convidar a Larissa Freitas para uma entrevista aqui no blog e contar pra gente como é a vida dela aqui nos Estados Unidos.

1

2

Por que decidiu ser au pair? Você cuida de quantas crianças e quais idades?

Eu decidi ser AuPair pois sempre tive o sonho de morar fora do Brasil, e esse é um dos intercâmbios mais baratos de se fazer. Como também sempre gostei de criança, juntei o útil ao agradável e vim. Eu cuido de um bebê, Patrick. Ele tem 7 meses. 

Por quanto tempo é o seu intercâmbio? Pretende ser au pair outra vez?

Meu intercâmbio é de 2 anos. Pensando hoje eu não seria AuPair novamente pois após esses 2 anos, quero começar a me dedicar na minha carreira.

 Qual é a melhor parte de ser au pair? E a pior parte?

A melhor parte de ser AuPair, pra mim, é ter que trabalhar olhando pra carinha mais fofa do mundo! Hahaha Não ter que aturar gente mal humorada, pois meu bebê está sempre sorrindo pra mim.
Fora que eu estou em um outro país, vivendo uma experiência incrível, aprendendo outra língua e viajando muito! Isso ninguém tira de mim. A parte ruim é a saudade da família no Brasil. Mas eu estou conseguindo lidar muito bem com isso, nunca foi um grande problema.

Você tem liberdade na casa da família, ou eles pegam no seu pé em alguma coisa?

Tenho total liberdade pra fazer o que eu quiser, mas claro, tenho bom senso!

A sua host family permite que você dê bronca ou imponha limites nas crianças enquanto estiver sozinha com elas?

Como cuido de um bebê, ainda não cheguei na fase de ter que impor limites. Mas meus hosts são pessoas que estão sempre dispostas a conversar, e sempre que eu proponho algo novo para fazer com o Patrick, eles aprovam. Acredito que quando ele ficar mais velho eu vou ter essa liberdade pra dar bronca sim.

Qual é a sua rotina e horários? A sua host family te pede para fazer hora extra? 

Eu trabalho de segunda a sexta das 8:30 as 5:30 e todos os meus dias são praticamente iguais! Meu bebê dorme bastante ainda, então ele tira umas 3 sonecas por dia de mais ou menos 1h30min cada uma e quando ele tá acordado, brincamos, saio pra passear com ele na rua e agora comecei a dar comida.  É bem tranquilo. Sim, já tive que fazer hora extra e todas foram pagas baseado no salário de uma babá aqui de San Francisco. Quanto as regras do programa, meus hosts seguem direitinho, e todas as vezes que eu tive que trabalhar a mais, eles pagaram sem eu ter que falar nada.

Já teve algum problema com a família? E se você não se adaptasse, dá pra trocar?

Graças a Deus nunca tive nenhum problema com a minha família, eles são incríveis e tudo que precisamos falar, conversamos numa boa! Se eu não me adaptasse eu conseguiria trocar de família. Mas eu teria 2 semanas pra achar uma nova família, se não achasse, voltaria pro Brasil. E pode troca de família 3 vezes só.

Teve algum medo ou já pensou em desistir?

Tive medo o começo, pois o Patrick era bem difícil de lidar. Acho que ele estranhou a minha presença nos primeiros dias, era muito complicado de colocar ele pra dormir e ele chorava sempre, o que é normal, pois ele só estava acostumado a ficar com os pais. Mas mesmo nesses dias em que ele ainda não estava acostumado comigo eu nunca pensei em desistir. Estava realizando um sonho e não iria desistir tão fácil!

6

Agora que você já tem um pouco mais de experiência, tem alguma dica que considere importantíssimo pra quem tá chegando agora?

Acho que a principal dica é: nunca se esqueça de que eles não sao sua família! Sempre coloque na cabeça de que eles são seus chefes. Se eles fazem coisas além disso, agradeça, mas não espere isso sempre deles. Se não você pode se decepcionar quando eles não fizerem algo que você espera que eles façam. Outra dica é, faça amigos pois eles serão sua família aqui nos EUA! Viaje muito, saia bastante de final de semana, conheça lugares e pessoas novas e seja turistona mesmo! E por fim, tenha paciência!

3

4

5

7

Por motivos óbvios, a família não aceita divulgação de fotos dos mesmo, mas com a entrevista já deu pra ter uma ideia de como funciona, né? Para acompanhar mais, visite o blog da Lari clicando aqui.

Eai, gostaram de conhecer um pouco mais da Lari? Tem alguma dúvida referente ao programa de intercâmbio dela? Se vocês gostarem, posso trazer entrevistas com outras au pairs aqui para o blog. Me contem nos comentários: já conheciam esse programa? Consegui te ajudar? Ficou interessada? Vamos compartilhar o assunto, e se alguém decidir ser Au Pair em Ny trate de me mandar um email avisando!

Para conferir de perto um intercâmbio na Nova Zelândia clique aqui.

E para saber quais destinos eu ainda vou visitar, clique aqui . Me conte o seu também!

36 Comentários

Você também poderá gostar de: